CABECERA IMAGENES

BTT - MELGAÇO a VIANA do CASTELO


Percurso- De Melgaço a Viana do Castelo                   Local- Alto Minho
Itinerário- Melgaço, Monção, Valença, V.N. de Cerveira, Caminha e Viana do Castelo.
Partida- Museu do Cinema de Melgaço (N 42º 06' 52''  W 08º 15' 37'') ás 7h40m
Data- Domingo 22 de Fevereiro 2015                          Distancia- 112km
Dificuldade   Física- Media/Baixa   Técnica- Baixa       Circular- Não
Tempo (horas)
Saída- 7h40m   Chegada- 17h58m        Duração- 10h18m                Em Movimento- 7h05m
Velocidade      Media Total- 10,80km   Media em Movimento- 15,81km/h   Máxima- 44km/h
Altitude (metros)
Máxima- 194     Mínima- 0           Desnível- 194              Saída- 194          Chegada- 5
Positivo- 612     Negativo- 692     Desn. Max.- 23,71%     Desn. Min.- 13,65%
GPS Garmin Oregon 450   Nº de Pontos- 12341   Intervalo de gravação- 3
Programa de analise de dados- CompeGPSLand/SportTracks
Indice IBP- 87MTB
Condições Atmosféricas- Céu coberto com aguaceiros e temperatura agradável.
Alimentação- Paragem nos Bares que encontramos pelo Percurso.
Pontos de Interesse- Rio Minho, Oceano Atlântico, Praias, Monumentos, Ecovias, Municípios e Muita Paisagem Natural.
BTTistas- Blacbay (Mondraker Foxy R) - Roberto (Cannondale Scalpel 4, 29") - Kuncas (Scott Scale 735, 27.5") - Paulo (Merida Big Seven 300, 27,5")

Observar ou Descarregar o Percurso  Todas (382) as Fotografias Georreferenciadas (Picasa)

Video de algumas zonas do Percurso.







Saída desde o Museu do Cinema, em pleno Casco Histórico de Melgaço.

Cruzando a Ponte do Contrabando.

Entrando na GR Margens do Rio Minho.





Abandonando o Concelho de Melgaço.

Quando o Kuncas se nos juntou.


Continuamos pela GR a Cerveira.





As traseiras da Quinta do Hospital.


Paragem técnica em Ponte de Mouro para rectificar a pressão dos pneus.




Continuamos junto ao Minho.



Na zona das Termas de Monção.

26 - 27,5 - 29

Subida difícil pelas Muralhas de Monção.




Descida novamente para o Rio.


Entrando na Ecopista.

Salvaterra do Minho, na visinha Espanha.



Varios Ciclista pela Ecopista.

A Ecopista já foi Linha de Comboio.



A GR nem sempre coincide com a Ecopista, aqui entrando em Lapela.

Paragem para um Porto.

Ou Café.

Torre de Lapela.






Ponte sobre o Rio Manco.

Mais uns metros pela Ecopista.

Voltamos aos Trilhos da GR.




O Kuncas a preparar o futuro.


Seguimos junto ao Rio Minho.

Catedral de Tui, do outro lado do Rio.

Valença amuralhada em frente.

Pare, escute, olhe e pedale.

Entrando nas Muralhas de Valença.





Dentro das Muralhas seguimos por uma Rua paralela ao GR, para não incomodar as pessoas que andavam as compras.


Paragem para almoçar, proteínas e lúpudo.

Saíndo das Muralhas de Valença, já com a companhia de aguaceiros.




Continuamos pela Ecopista junto ao Rio.







Cruzando S. Pedro da Torre.




Entrando em Cerveira.

No Aquamuseu de Cerveira terminou a GR margens do Rio Minho, nós seguimos mais alguns metros pela Ecopista.

A chuva mantinha-se.

Abandonamos a Ecopista para entrar no Caminho de Santiago Portugues da Costa, até Caminha.





A primeira vez que tivemos que desmontar, o Caminho de Santiago cruza o pátio desta casa.




Em Seixas desviamo-nos uns metros do Caminho de Santiago para não ter que cruzar a E.N. várias vezes, nós o Caminho estamos a faze-lo ao contrário.


A 29er cruza a Linha de Comboio.

As 27,5er só á mão.

Entrando em Caminha.

Agora deixamos o Caminho de Santiago e seguimos pelos Caminhos junto ao Mar.


Cruzando a Mata do Camarido.


Praia de Moledo.


Dificuldade em pedalar na areia.

Pelos Trilhos junto ao Mar.




O Paulo a treinar.

Pela Ecopista de V.P. de Ancora.



Outra paragem para alimentação.

Pelos Caminhos das Dunas da Gelfa.

Andavam Capinadeiras a limpar os Caminhos, destruíram os acessos á Passadeira de Madeira, tivemos que procurar outros acessos.



Depois de várias tentativas conseguimos encontrar um Trilho que nos levou a Passadeira.


O Forte do Cão na Gelga.

Trilho espetacular.

Outra vez areia.


A vegetação quase ocupa a Passadeira toda.

Aqui precisa de manutenção.

A manutenção já começou, por aqui a madeira é nova.

Passagem da Madeira nova para a velha.



Forte do Paço em Afife.

Outro Caminho inundado.

Alternativa, Bike as costas.

Uma boa zona de pesca.



Pedalando pela zona de Montedor.

Trilho com muita vegetação.

O ultimo Passeio de Madeira que cruzamos.

Devido a mais outro Caminho inundado, tivemos que cruzar mesmo ao lado do Mar.

Pelos Moinhos da Areosa.


Forte da Vinha na entrada de Viana.

Chegada a Viana do Castelo, já a anoitecer.

Os corajosos aventureiros.

Em Viana o Zé Luis recebeu-nos com um Favaios.

   Pela segunda vez realizei este Percurso, de Melgaço a Viana do Castelo evitando as Estradas Nacionais. A primeira vez foi em 2011 e o único Bttista que repetiu este ano foi o Kuncas.
   Convidei todo o pessoal de Melgaço que costuma pedalar, mas apenas três é que se disponibilizaram em acompanhar-me.
   O Kuncas e o Roberto já estão habituados a realizar 100km, já participaram varias vezes nos 101 Peregrinos (prova de 100km com 3.500m D+ que se realiza em Ponferrada), o Paulo foi a primeira vez que pedalou esta quantidade de quilómetros, apenas tinha realizado 70km e pela estrada.
   Os outros Bttistas de Melgaço por variadas razões não quiseram participar, os três dígitos (100) ainda lhe metem medo a alguns, se fosse pela estrada talvez houvesse mais um ou dois, mas pelos Caminhos foi impossível convencer mais alguém.
   O Percurso foi fácil, praticamente não tivemos desnível, apenas a descida para o Peso nos primeiros quilómetros e mais outras pequenas subidinhas e descidinhas. Se para 112km o IBP só deu 87 é porque o percurso é bastante acessível. A pouca dificuldade que houve foi a quantidade de quilómetros e a qualidade do piso em alguns caminhos, lama, agua e areia, onde é difícil pedalar.
   Começamos pela Grande Rota da Margens do Rio Minho até Vila Nova de Cerveira, continuamos pelo Caminho de Santiago Português da Costa até Caminha e terminamos pelos Caminhos junto ao Mar até Viana do Castelo.
   Arrancamos desde o Museu do Cinema de Melgaço, eu, o Paulo e o Roberto, que já trazia 25km nas pernas (veio de Monção a pedalar), o Kuncas apanhamo-lo pelo caminho, já que passávamos ao lado da sua casa.
   Descemos para o Peso pela antiga E.N. 202, entramos na Grande Rota das Margens do Rio Minho até V. N. de Cerveira. O Percurso da Grande Rota, de Melgaço a Monção tem muito asfalto, são poucos os metros em Caminhos de terra.
   Entramos na Vila de Monção pelas Termas, subimos pelas Muralhas até á Praça Deu-La-Deu, saímos pela Porta das Muralhas e voltamos novamente as margens do Rio Minho.
   Entramos na Ecopista, por onde pedalamos vários quilómetros até ao Lugar de Lapela, onde fizemos uma paragem para Café e Porto.
   Seguimos pela Ecopista, desviando-nos varias vezes por Caminhos e Trilhos junto ao Rio.
   Na zona de Verdoejo abandonamos definitivamente a Ecopista para seguir um Caminho em Cimento junto ao Rio Minho.
   Entramos em Valença pelas Muralhas, o Percurso da GR segue pela Rua Principal da Cidade Amuralhada, nós fomos por outra Rua para não estorvar as pessoas que andavam as compras. Também o trânsito era em sentido contrario ao nosso e temos que cumprir Código da Estrada.   Aqui em Valença fizemos a primeira paragem para comer.
   Saímos de Valença por outra Porta das Muralhas, descemos outra vez ao Rio Minho e seguimos a Ecopista, nesta zona começaram os aguaceiros.
   A Ecopista levou-nos até S. Pedro da Torre, onde voltamos a fazer mais alguns quilómetros pelo asfalto.
   Na Zona Industrial de Campos voltamos as margens do Rio, por Caminhos de terra, mais uns quilómetros até chegarmos a V. N. de Cerveira, por onde entramos por outra Ecopista.
   Sempre junto ao Rio cruzamos Cerveira, terminando a Grande Rota no Aquamuseu do Parque de Castelinho.
   Continuamos pela Ecopista até ao seu fim em Gondarém, onde subimos para seguir o Caminho de Santiago Português pela Costa, mas em sentido contrario. Seguimos o Caminho de Santiago, apenas em Seixas nos desviamos durante uns metros para não seguirmos pela estrada em sentido contrário do trânsito.
   Ao cruzar o Rio Coura abandonamos o Caminho de Santiago e seguimos os Caminhos junto a Costa. Primeiro pela Marginal do Rio Minho até a Foz, depois cruzamos a Mata do Camarido até a Praia de Moledo, seguimos junto ao Mar até V.P. de Ancora. Nesta Vila fizemos a segunda paragem para alimentação.
   Cruzamos o Rio Ancora, seguimos pela Mata da Gelfa, onde tivemos alguma dificuldade em encontrar o Trilho certo. Andavam a fazer a limpeza dos Caminhos e tinham destruído o acesso a Passadeira de Madeira.
   Os últimos quilómetros foram sempre junto ao Mar, por Caminhos, Passadeiras de Madeira, Areia, Agua, Lama, Pedras, o piso mais variável para o final do percurso. Ainda tivemos algumas aventuras, Passadeiras partidas e em manutenção, Trilhos que o Mar destruiu e que tivemos que cruzar Praias com a Bike pela mão, Caminhos inundados, etc.
   Chegamos a Viana já começava anoitecer, fomos directos a casa do Zé Luís onde ele nos deixou tomar banho e vestir roupa seca.
   Entre outras paragens pelo Caminho, paramos duas vezes para comer num “tasco” (Valença e Ancora), onde demoramos mais de uma hora cada vez.
   O dia esteve quase perfeito, a temperatura foi agradável, não encontramos vento, apenas alguns aguaceiros entre Valença e Seixas.
   A Grande Rota esta marcada com estacas de madeira e a típicas marcas Vermelhas/Brancas, mas sem o track no GPS é quase impossível conseguir realiza-la sem nos enganar várias vezes.
   Terminamos o Passeio a comer no Centro Comercial, a família foi-nos buscar de carro para voltar-nos a Melgaço.
   Agradeço ao Zé Luís a sua disponibilidade em acolher-nos em sua casa. Os meus parabéns ao Paulo por se ter atrevido a realizar connosco os 112km e tê-los feito perfeitamente.
   Um Percurso realizado em Passeio para apreciar a paisagem e disfrutar da companhia. 

Dados IBP.
Já fizemos este Percurso em: 2011

Blacbay