CABECERA IMAGENES

TRAIL - ARCOS de VALDEVEZ * SISTELO * BRANDA da AVELEIRA


Percurso- Arcos de Valdevez * Sistelo * Aveleira                     Local- Arcos de Valdevez
Itinerário- Arcos de Valdevez, Ecovia do Vez, Sistelo, Padrão, Porta Cova, Branda do Furado e Branda da Aveleira.
Partida- Ponte sobre o Rio Vez, Arcos de Valdevez (N 41º 50' 53''  W 08º 25' 03'') às 8h45m 
Data- Sexta feira 14 de Abril 2017                                         Distancia- 32km

Dificuldade            Física- Media/Baixa     Técnica- Baixa        Circular- Não
Tempo (horas)
Saída- 8h45m        Chegada- 13h55m       Duração- 5h10m
Velocidade            Media Total- 5,60km/h
Altitude (metros)
Máxima- 1.015       Mínima- 34        Desnível- 981              Saída- 34    Chegada- 1.015
Positivo- 1.200       Negativo- 271   Desn. Max.- 23,88%     Desn. Min.- 20,78%
GPS Garmin Oregon 600    Nº de pontos- 6197   Intervalo de gravação- 3
Programa de analise de dados- CompeGPSLand/SportTracks
Indice IBP- 183 RNG                                                           M.I.D.E.- 2 - 2 - 3 - 3
Condições Atmosféricas- Céu coberto e temperatura agradável.
Pontos de Interesse- Vila de Arcos de Valdevez, Rio Vez, Ecovia do Vez, Aldeia de Sistelo, P.N.P.G., Monumentos, muita, muita Paisagem Natural.
Corredores- Blacbay – Robiin - Pleunam

Observar ou Descarregar o Percurso     Todas as Fotografias Georreferenciadas
                                                               Blacbay (332)    Robiin (184)




Arrancamos desde a Ponte Pedonal sobre o Rio Vez.

Seguimos a Ecovia até Sistelo, 21km.



A correr pelas margens do Rio Vez.



Não eramos os únicos a correr pela Ecovia.




Nos primeiros 13km apenas tivemos esta pequena subidinha, o resto do percurso foi completamente plano.






Restos de vegetação na vedação das propriedades, onde chega o caudal do Rio Vez no Inverno.






Muitos metros de Passadiços de Madeira.

Outra Ponte em Pedra que cruza o Rio.

Mais pessoal pela Ecovia.




Piso dificil de correr.

A Ecovia não cruza o Rio, foi só para a foto.



Zona de Loureda, onde a Ecovia abandona o Rio Vez durante alguns metros. Até aqui o Percurso foi plano, depois de 13km apenas chegamos aos 100 metros D+.

Agora começamos a somar desnível.

Coisa que não vimos foram caixotes do lixo, foi a única coisa negativa que tenho a sinalar sobre a Ecovia.

Tivemos que percorrer uns 1.500 metros pelo asfalto.

Voltamos novamente ao Rio Vez.

Esta segunda parte da Ecovia já foi mais engraçada, deixamos o terreno plano e começamos a subir e a descer.


Nesta zona as Paisagens são bem melhores, temos mais que só o Rio Vez.






Caminhos e Trilhos que já existiam antes da Ecovia.


Trilho sempre com denível.




Já se começavam a ver os Socalcos de Sistelo.



Sistelo ao longe.



Mais dois atletas que andavam a treinar.








Muitas pessoas nesta zona da Ecovia.



Cruzando o Rio Vez.

Subida para Sistelo.



Entramos em Sistelo

Muita informação sobre Trilhos.

Paramos para abastecer.


A Ecovia terminou em Sistelo, nós continuamos a subir para Padrão e Porto Cova.




Mas o que é que o homem esta a fazer?



Começamos a subir pelos Trilhos empedrados.


Muito desnível por Trilhos empedrados.




Entrada na Aldeia de  Padrão.

Não perdem tempo, já estão no engate.



A correr entre os Socalcos.



Sempre em cima de pedras.

Na outra Montanha, já em Monção, pessoas noutro Trilho.




Entrando no Lugar de Porto Cova.


Que grandes........

Meio de transporte aconselhado para estes Caminhos.

Continuamos a subir.

Os famosos Socalcos entre Porto Coiva e Padrão.



Restos das marcações da Prova do Carlos Sá, mas tem escrito "não retirar".






Continuamos a subir, mas agora com menos desnível.







Trilhos espetaculares.








Cruzando a Brando do Furado.




Cruzamos o Regato, agora seria sempre a subir até ao fim.




Restaurante O Brandeiro, a nossa Meta.

Uma das Casa de Turismo Rural da Branda da Aveleira.

O nosso final, a famosa carne de Cachena.

   Mais um treino, desta vez para treinar desnível positivo e disfrutar da Natureza.
   Fomos correr pela Ecovia do Vez e subir os Socalcos de Sistelo.
   Já conhecia este Percurso, mas em sentido contrario, a descer. A Ecovia já a tinha realizado em BTT o ano passado, o Trilho de Sistelo já o tinha descido em 2011.
   Começamos desde a Ponte Pedonal sobre o Rio Vez, em Arcos de Valdevez, seguimos a Ecovia em direção a Sistelo.
   Eu dividi o Percurso em três partes, a primeira foram os 13km primeiros quilómetros, Ecovia totalmente plana onde se podia realizar toda a correr, apenas uns 100 metros de desnível positivo. Percurso lindo sempre ao lado do Rio com vários Passadiços em Madeira e Pontes em Pedra para cruzar o Vez para a outra margem.
   A segunda parte foram os restantes 8km até Sistelo. Devido a orografia do terreno a Ecovia teve que se desviar pela estrada durante uns 1.500 metros. A partir de aqui o Percurso deixou de ser plano, começamos a subir e a descer, ou estávamos ao lado do Rio, ou a 10 ou 15 metros de altura. Esta zona já é mais espetacular, a Ecovia também aproveitou Caminhos antigos de acesso a propriedades, o piso também já se tornou mais difícil, pedras, agua e lama, muito diferente dos primeiros 13km que eram planos e lisos.
   Entramos na zona Montanhosa, o Rio Vez tinha menos caudal, mas ouvia-se a descer entre as pedras. Os Passadiços de Madeira já não eram planos, alguns até bastante inclinados com rípias cravadas para tentar evitar escorregadelas. Também se apreciava vários cursos de água a descer pela Montanha.
   Chegamos a Sistelo com 21km, onde nos 8km subimos uns 280 metros. Visitamos a Aldeia, principalmente para lhe mostrar ao Pleunam, já que ele era a primeira vez que visitava Sistelo.    Fomos ver o Castelo, Espigueiros, Igreja e paramos numa Tasca para abastecer.
   Agora começava a terceira parte, a subida de Sistelo até a Branda da Aveleira. Esta parte do nosso Percurso, foi a que utilizou o Carlos Sá para a sua Prova PGA.
   Particamente em todo o Percurso, o piso é pedra e quase sempre a subir. Andamos entre Socalcos, cruzamos as Aldeias de Padrão e Porto Cova, e a Branda do Furado.
   Terminamos na Branda da Aveleira, onde almoçamos no Restaurante O Brandeiro. Esta terceira parte foi onde tivemos quase todo o desnível, é uma zona espetacular, as fotografias e os vídeos assim o demonstram.
   Quero agradecer ao Proprietário de O Brandeiro, a possibilidade que nos deu para tomar banho numa das Casas de Turismo Rural, das muitas que há na Branda da Aveleira.
   Eu já tinha deixado o carro com roupa no dia anterior na Aveleira, para facilitar os banhos e o nosso regresso a Melgaço.
   Foi um treino espetacular, por terreno variado, numa zona lindíssima, para repetir em futuras datas.



Dados IBP.
Blacbay

No hay comentarios:

Publicar un comentario